Coordenação Nacional Caiçara é criada durante Festejo Caiçara em Trindade

Foram três dias de Festejo Caiçara em Trindade com direito a fandango e corrida de canoas mas um passo importante da luta caiçara foi dado durante o evento. No dia 18 de outubro, sábado, aconteceu o Encontro Caiçara e contando com a presença de mais de 60 pessoas, caiçaras de diferentes localidades do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, foi criada a Coordenação Nacional Caiçara.

A Coordenação Nacional Caiçara é o resultado de uma articulação das comunidades caiçaras para unir forças em busca da conquista de seus direitos e para reforçar sua identidade e cultura. Estiveram presentes representantes caiçaras das localidades do Sono, Pouso da Cajaíba, São Gonçalo, Tarituba e Trindade, do município de Paraty, RJ; Ubatumirim de Ubatuba, Portinho de Ilhabela; Ilha do Cardoso, Grajaúna, Ariri, São Paulo Bagre, em Cananéia; Barra do Ribeira, Vila Nova, Rio Verde, Grajauna e Cachoeira do Guilherme de Iguape; Guaraú, Barra do Una e Parnapuã da cidade de Peruíbe, SP, e do Paraná compareceram caiçaras de Guaraqueçaba.

A formação da Coordenação é fruto de uma caminhada de alguns anos puxada por lideranças de diferentes comunidades caiçaras que vinham discutindo essa necessidade em espaços públicos como a Comissão Nacional de Povos e Comunidades Tradicionais e em eventos comunitários. Com o apoio de instituições parceiras como o Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba, a Fiocruz, Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp, IPEMA, estudantes de Geografia da USP, Raízes e Frutos/UFRJ e a ONG Caxadaço Bocaina Mar, o grupo dialogou sobre problemas e a possibilidade de maior representatividade nos espaços e fóruns políticos.

Durante a reunião foram debatidos os objetivos desta Coordenação e como ela deve funcionar. Uma das prioridades de luta é a garantia de permanência e a regulamentação do território tradicional caiçara, também a ampliação de diálogos com outros movimentos sociais como o dos pescadores artesanais. O grupo detectou a necessidade de encontros com as comunidades que não estiveram presentes para melhorar a articulação e traçar um retrato completo das demandas e potencialidades de cada comunidade caiçara.

O grupo definiu que nesse primeiro ano a Coordenação Nacional Caiçara será dirigida por uma Comissão Provisória composta por oito pessoas, sendo duas do Paraná, quatro de São Paulo e duas do Rio de Janeiro. A coordenação também terá representantes dos municípios, das comunidades e da juventude e estes deverão criar canais de comunicação para debater e divulgar atividades de interesse comum. Aliás, a juventude caiçara sentindo a necessidade de manter viva a cultura criou um coletivo nacional da juventude caiçara integrado inicialmente por jovens dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A Comissão provisória é composta por:

PR – Amarildo dos Santos (Guaraqueçaba) e Teresa (Superagui)

SP – Litoral Sul – Adriana Lima (Peruíbe) e Laerte Barbosa (Cananéia)

SP – Litoral Norte – Jorge Inocêncio – Juninho (Ubatuba) e Thiago (Ilhabela)

RJ – Robson Possidônio e Marcela Cananéa (Paraty)

Preservar é Resistir Coordenação Nacional Caiçara
Preservar é Resistir Coordenação Nacional Caiçara
Preservar é Resistir Coordenação Nacional Caiçara
Preservar é Resistir Coordenação Nacional Caiçara
Preservar é Resistir Coordenação Nacional Caiçara

Por Comunicação Fórum de Comunidades Tradicionais

Colaboração de Anna Cecília Cortines

#caiçaras #fórumdecomunidadestradicionais #paraty #território #coordenaçãonacionalcaiçara