Aldeia Sapukai em Festa - 20 anos da titulação da Terra Indígena

“Tô fazendo a festa pra comunidade indígena só pra nossa alegria, nosso futuro tá aqui, com o fortalecimento da criança, quanta criança que tem, porque criança nasceu e se criou bem, muito adolescente que já foi nascido aqui nessa área, a festa é alegria e saúde pra todos nós”, assim falou o Cacique Vera Mirim, na roda de agradecimento no final do primeiro dia da festa.

Preservar é Resistir - 20 anos titulação

A festa aconteceu nos dias 19 e 20 de dezembro de 2015 no entorno da casa de reza da Aldeia Guarani Sapukai, em Angra dos Reis, RJ. Reuniu parentes guaranis das aldeias vizinhas e do Espírito Santo e convidados juruás (brancos) no primeiro dia. Foi a comemoração dos 20 anos da titulação da Terra Indígena Sapukai e 30 anos da chegada do Cacique Vera Mirim na aldeia. Na programação teve apresentação dos corais da aldeia - de três núcleos familiares, dança do Xondaro, dança do Tangará e muito mais, tudo registrado pelos jovens indígenas e sob a coordenação de Lucas Benite. A todo momento aconteciam encontros e reencontros de parentes, sempre com muita emoção. Além do alimento típico e artesanatos belíssimos.

O vice-cacique, Domingos Benite, conta que o cacique Vera Mirim, também conhecido como Sr. João, com 103 anos, chegou na aldeia há 30 anos, veio se juntar a um grupo liderado pelo Valdomiro (falecido), primo do Sr. João, que já estava aqui há mais de dez anos. Domingos fala que “Pra demarcar a terra fizemos mobilização de vários parentes, do Brasil, também veio de fora, do Paraguai, Argentina, Uruguai, então a gente conseguiu fazer a autodemarcação – a gente mesmo fez a picada pelo mato, em 1993”. Os indígenas procuraram ajuda da Prefeitura Municipal de Angra dos Reis, que apoiou com os topógrafos e com a articulação com o Ministério da Justiça. A parceria foi positiva e em junho de 1995 foi publicado o Decreto da Homologação da Terra Indígena.

Domingos diz que “de lá pra cá mudou muita coisa, temos estrada, luz, temos posto de saúde com as parcerias da Funai, Fundação Nacional de Saúde e Prefeitura, com agente comunitário de saúde, médico, houve mudanças. Na educação este ano deu mais passo pra frente, mas a gente lutou muito. Só moradia que não tá boa ainda e o tratamento de água que estamos sem”.

O Fórum de Comunidades Tradicionais Angra-Paraty-Ubatuba esteve presente apoiando a festa. Marcela Cananea, Secretária Executiva do FCT, durante a apresentação dos parceiros, aproveitou para agradecer e reforçar a importância dos guaranis se aproximarem do Fórum (FCT) e fortalecer a luta pela permanência no território das comunidades tradicionais e seus direitos.

Preservar é Resistir - 20 anos titulação

Que tenhamos muitas outras festas para comemorar as conquistas dos povos e comunidades tradicionais!!!

Texto: Anna Cecilia

Fotos: Comunicação FCT