Campanha Cuidar é Resistir amplia apoio a comunidades tradicionais de RJ e SP

Coordenada pelo Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT), Campanha Cuidar É Resistir avança na resposta à pandemia com apoio a comunidades indígenas, caiçaras e quilombolas de Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro, e de São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba, no litoral norte de São Paulo.



Uma grande rede de solidariedade em apoio a comunidades tradicionais de RJ e SP impactadas pela pandemia de Covid 19. Este é o balanço da segunda fase da Campanha Cuidar é Resistir, que beneficiará, entre janeiro e março de 2022, mais de 7 mil famílias de 140 territórios tradicionais caiçaras, indígenas e quilombolas com cerca de 20 mil cestas básicas enriquecidas com pescado e produtos agroecológicos produzidos pelas próprias comunidades do território.


“Agradecemos a todos e todas que estão se somando a esse desafio. Neste momento tão difícil, precisamos apoiar as comunidades em diversas frentes e isso jamais seria possível sem a generosidade de nossos parceiros”, agradece Vagner do Nascimento, Coordenador do FCT e Coordenador Geral do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS).


Até aqui, a Campanha Cuidar é Resistir recebeu apoio técnico, logístico e/ou financeiro de organizações como Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), Comissão Guarani Yvyrupá (CGY), Coordenação Nacional de Comunidades Tradicionais Caiçaras (CNCTC), ONG Amigos na Preservação, Proteção e Respeito à Ubatuba (APPRU), Coletivo Neos e Ação Solidária Guarda-Vidas, Marcha Mundial das Mulheres – Ubatuba, Associação de Moradores da Almada, Associação dos Bananicultores do Ubatumirim, Cooperativa de Barqueiros da Praia do Sono, PROPESCAR, ASSOPESCA, COMISFLU, Sesc Paraty, Petrobras, Fiocruz, Fiotec, OTSS, Verde Cidadania, Junta Comunitária de Paraty, Ceasa, Prefeitura de Paraty, Prefeitura de Ubatuba, UFF, UNESP, Loja Canoa, Sesai, Secretaria de Agricultura e Pesca de Paraty, Secretaria de Agricultura, Aquicultura e Pesca de Angra dos Reis, APA Cairuçu, Associação dos Moradores da Monsuaba, Rede Brotar, Escola Jardim Sol da Terra, Paróquia de São Sebastião, Associação de Moradores do Alto Jetuba, Sindipetro-LP, Fórum Sindical-LN e RJ, Fundo Fica e Viva Rio.


Já as doações da fase 2 da Campanha foram adquiridas com recursos doados pela Petrobras em articulação com a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec), organização ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A distribuição está sendo realizada com o apoio do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS), Secretaria de Assistência Social de Ubatuba, Secretarias de Agricultura de Mangaratiba, Paraty e Angra dos Reis, Coletivo Neos, Assopesca, Associação de Moradores da Monsuaba, Colégio Estadual Conde Pereira Carneiro, Marcha Mundial das Mulheres de Ubatuba, Cooperativa COMISFLUR, Coletivo Brotar e demais voluntárias e voluntários que têm se somado à rede de solidariedade do FCT.


“A segunda fase da campanha Cuidar é Resistir traz também a importância de um levantamento da produção de pescado nos sete municípios, fortalecendo os arranjos produtivos, a geração de renda, e a economia solidária, levando um alimento saudável e complementando as cestas com produtos agroecológicos. Tudo isso valoriza as comunidades tradicionais pesqueiras, principalmente nesse momento de pandemia em que o escoamento da produção nas comunidades está comprometido”, destaca Ana Flávia Salai, pescadora artesanal, liderança do FCT e pesquisadora do OTSS.



Nova fase


Lançada em maio de 2020, a primeira fase da Campanha Cuidar é Resistir ocorreu por iniciativa de cidadãs e cidadãos de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba com o apoio do FCT. Neste período, foram distribuídas cerca de cinco toneladas de alimentos, máscaras, produtos agroecológicos e materiais de higiene para mais de mil famílias. Também foram adquiridas e distribuídas 1,5 toneladas de pescado das comunidades caiçaras da Almada e de Trindade, que complementaram as cestas básicas nos três municípios de atuação FCT.


Nesta nova fase, a campanha passou a reforçar a ajuda humanitária e a divulgação de informações confiáveis em relação à pandemia e à segurança das vacinas. Outra mudança foi a ampliação dos territórios atendidos. Se na primeira fase a campanha atuou junto aos municípios de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba, agora a campanha se articula também com comunidades tradicionais de Mangaratiba, no litoral sul do Rio de Janeiro, e de São Sebastião, Ilhabela e Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo.

Dá o play e saiba mais sobre a segunda fase da Campanha Cuidar é Resistir.


Sobre o FCT


Movimento de articulação de povos e comunidades tradicionais da Bocaina, o FCT é um movimento social que integra povos indígenas, caiçaras e quilombolas de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba para a luta conjunta em defesa de seus direitos e territórios tradicionais. Fundado em 2007, atua nas áreas de agroecologia, saneamento ecológico, educação diferenciada, pesca artesanal, turismo de base comunitária, cartografia social e justiça socioambiental a partir da liderança e protagonismo das próprias comunidades.


O FCT integra também a coordenação geral do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS) ao lado da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição de ciência e tecnologia em saúde apontada pela OMS como referência em Covid-19 nas Américas. Criado em 2009, o OTSS é um espaço tecnopolítico de geração de conhecimento crítico, a partir do diálogo entre saber tradicional e científico, para o desenvolvimento de estratégias que promovam sustentabilidade, saúde e direitos para o bem viver das comunidades tradicionais em seus territórios.

“O impacto dessa crise sobre povos e comunidades tradicionais é extremamente grave e a Fiocruz se orgulha de ser parceira do Fórum de Comunidades Tradicionais na luta pela proteção destes territórios frente aos desafios da pandemia”, destaca Edmundo Gallo, pesquisador titular da Fiocruz e Coordenador Geral do OTSS.


***